A Fotossíntese e Sua Capacidade Muito Avançada

Cyanobacteria por Joydeep (trabalho próprio) / © 

Por Cornelius Hunter

Como exatamente a evolução é um fato quando, como o segundo periódico científico do mundo diz: “Como e quando as cianobactérias evoluíram a capacidade de produzir oxigênio através da fotossíntese é pouco compreendido“?

Ou, como admitiu o evolucionista Robert Blankenship, “toda a questão da origem das cianobactérias tem sido um mistério, porque elas meio que surgiram da árvore da vida com essa capacidade muito avançada de fazer fotossíntese oxigenada sem nenhum antepassado aparente“.

Se as cianobactérias que fazem fotossíntese “apenas apareceram” com essa “capacidade muito avançada” e “sem nenhum aparente antepassado”, e se como e quando eles evoluíram a fotossíntese “é pouco compreendido”, então como é que os evolucionistas estão tão certos de que evolução é um fato? O que estou ignorando aqui?

Não é como se a fotossíntese fosse uma capacidade tangencial ou um evento menor na “história evolutiva” da vida. Como afirmou o principal escritor de ciência Charles Q. Choi, “um dos momentos mais cruciais da história da Terra foi a evolução da vida fotossintética que impregnou o ar com o oxigênio do qual agora depende praticamente toda a vida complexa do planeta”.

Tampouco é como se a fotossíntese fosse uma capacidade simples, sem necessidade de explicação de como poderia ter surgido por mutações aleatórias. Quem estudou fotossíntese, mesmo superficialmente, sabe que é incrivelmente complexo. E para quem estudou com mais detalhes, isso só piora. As máquinas moleculares e suas funções requintadas e refinadas são realmente surpreendentes. Isso não é algo que “simplesmente acontece”.

Até os evolucionistas, que estão sempre tentando explicar como seria fácil as maravilhas da biologia surgirem por acaso, admitem a complexidade da fotossíntese. Como Blankenship ressaltou, a fotossíntese é uma “capacidade muito avançada”. Da mesma forma, Woodward Fischer concordou que a evolução da fotossíntese seria “muito desafiadora”:

Demorou um lapso substancial de tempo evolutivo antes que a fotossíntese oxigenada se desenvolvesse, talvez porque, como sabemos, era uma bioquímica muito desafiadora para se desenvolver.

Tampouco é como se a evidência que temos sugerisse algum tipo de desenvolvimento evolucionário direto da fotossíntese.

Se a evolução for verdadeira, devemos lançar novas rodadas de notícias falsas sobre evolução, incluindo incríveis convergências e transferências massivas horizontais, ou laterais, de genes e fusões. Reunindo as suspeitas de sempre:

As relações filogenéticas desses procariontes sugerem que a evolução da respiração aeróbica provavelmente ocorreu várias vezes. Isso, juntamente com as evidências de que o sistema fotossintético moderno surgiu aparentemente através da transferência lateral de genes e da fusão  de dois sistemas fotossintéticos

Isso é um absurdo. Convergência, transferência horizontal de genes e fusão são todos mecanismos levantados para disfarçar o problema de que a evidência científica contradiz a teoria da evolução.

Mas piora.

Os evolucionistas não são apenas forçados a recorrer a seu exército de mecanismos explicativos falsos, mas também ficam com o proverbial “elo perdido”. O problema é: de onde veio a fotossíntese? Não poderia ter vindo do suposto ancestral comum por descendência e “apenas apareceu” com essa “capacidade muito avançada”. Portanto, os evolucionistas precisam dar início à sua história de transferência horizontal de genes.

Mas de onde?

De onde veio a incrível bateria de genes — que acabaria se unindo e criando a incrível capacidade de todos os tempos de fotossíntese — surgiu? Convenientemente para os evolucionistas — e aqui está uma das belezas de ser um evolucionista — eles podem nunca saber. Como um “jardineiro invisível”, os evolucionistas estão certos de que algum organismo “elo perdido” de alguma forma teve a fotossíntese em funcionamento, ou que por acaso possui os genes cruciais que estão por aí, mas provavelmente nunca iremos observar esse organismo porque há muito se extinguiu.

Quão conveniente. Algum organismo misterioso tinha isso. Nunca saberemos como a fotossíntese evoluiu porque o organismo onde ocorreu há muito se extinguiu, bilhões de anos atrás. Desde então, por sorte, passou a tecnologia para outros organismos, como as cianobactérias. Choi e Fischer explicam:

O fato de as oxifotobactérias possuírem o aparato complexo para a fotossíntese oxigênio, enquanto seus parentes mais próximos não parecem sugerir que as oxifotobactérias possam ter importado os genes de fotossíntese de outro organismo através de um processo conhecido como transferência lateral de genes. Ainda é um mistério qual foi a fonte desses genes, “e  porque aconteceu há muito tempo, é bem provável que o grupo tenha realmente sido extinto“, disse Fischer.

A fotossíntese é crucial para a vida e incrivelmente complexa, os evolucionistas não têm ideia de como ela poderia ter evoluído, ela não se encaixa no modelo evolutivo de descendência comum e “apenas apareceu” sem uma dica de onde ela veio, os evolucionistas são forçados a inventar histórias para tentar explicá-la, a história deles não pode ser falsificada porque a origem da fotossíntese já desapareceu e, além disso, os evolucionistas insistem que sua teoria é um fato, além de qualquer dúvida razoável.

Isso é como algo fora de um esquete de Monty Python. A evolução perde todas as batalhas, mas consegue vencer a guerra porque, afinal, está certa.


Original: Cornelius Hunter. New Study on the Evolution of Photosynthesis — A “Very Advanced Capability”. April 6, 2017.


Júnior Eskelsen
Sobre Júnior Eskelsen 265 Articles
Responsável pelo portal tdibrasil.org e pela página Teoria do Design Inteligente no Facebook. Colabora com as atividades do movimento do Design Inteligente no Brasil.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*