Darwin Devolves, o Novo Livro de Michael Behe

Download PDF
Tempo de leitura: 4 min
A nova ciência sobre o DNA desafia a evolução.

Por Evolution News

A ciência por trás do design inteligente e o argumento para duvidar do neodarwinismo continuam a se aprofundar. Nisso os fundamentos da teoria evolucionista tradicional e suas alternativas modernas de não-design, a teoria neutra e a engenharia genética natural, cada vez mais vacilam. Como Michael Behe, o “Pai do Design Inteligente”, escreve em seu próximo livro, Darwin Devolves , “Apesar das ocasionais questões e solavancos ao longo do caminho, quanto maior o progresso da ciência, mais profundamente o design da vida pode ser visto estendido.”

O subtítulo do livro é A nova ciência sobre o DNA que desafia a evolução. Será lançado em 26 de fevereiro de 2019, pela HarperOne. E é realmente tudo sobre o que há de novo – este livro não poderia ter sido escrito quando Behe ​​publicou sua inovadora Caixa Preta de Darwin (1996) ou sua subsequente The Edge of Evolution (2007). É o progresso da ciência que selou o destino do darwinismo. Como Behe ​​diz agora, “esses avanços do século 20 – junto com outros ainda mais cruciais do século 21 – deveriam definitivamente resolver a ampla e básica questão em favor do design”.

A Fonte Original

Behe é, em certo sentido, a fonte do design moderno. Darwin Devolves descreve em detalhes a verdadeira fonte da evolução na natureza. Behe examina grupos de organismos supostamente os principais exemplos do processo darwiniano em ação, supostamente demonstrando o poder da seleção natural para impulsionar inovação. Ele lida com os tentilhões de Darwin, os peixes ciclídeos e as cepas de E. coli estudadas nos experimentos de evolução de longo prazo de Richard Lenski. Em todos os casos conhecidos, a categoria predominante de mudanças benéficas foram mutações que degradaram a função dos genes. Por exemplo, a mudança genética que está no coração de uma variação fundamental na forma do bico de um tentilhão é um gene danificado que promove uma forma pontiaguda.

A razão para essa tendência é que quebrar genes é muito mais fácil do que melhorar uma função existente ou gerar uma nova função. Portanto, mudanças benéficas na primeira categoria ocorrerão muito mais rapidamente.

Nos poucos casos em que mudanças benéficas adicionam uma nova função, os organismos são capazes de entrar em novos ambientes, como bactérias que ganham a capacidade de viver em um novo hospedeiro. No entanto, o organismo normalmente perde os genes que lhe permitiram viver em seu ambiente original, como em um lago. No resultado final, o organismo perde muito mais funções do que ganhou. Ele acaba preso no novo ambiente. Fim de jogo.

Darwinismo – não como anunciado

Esta não é a teoria alardeada que o neodarwinismo afirma ser capaz de explicar as maravilhas da vida através de processos cegos e não guiados. Behe mostra que a própria ciência derrotou a evolução e como ela aponta agora – definitivamente – para o design. Essa é a escolha que todos nós enfrentamos: apegar-se a uma teoria falida ou abrir nossas mentes para a nova ideia que está predestinada a substituí-la. 

Você pode fazer sua própria escolha ao entrar cedo no que certamente será um debate fascinante e excitante sobre Darwin Devolves. E não se engane: Darwin Devolves será o centro de um grande debate.


Original: Darwin Devolve – Preorder New Book de Behe; Curso de Vídeo Plus sobre Design Inteligente!
(Acessar) 

 


Junior Eskelsen
Sobre Junior Eskelsen 169 Articles
Responsável pelo portal tdibrasil.org e pela página Teoria do Design Inteligente no Facebook. Colabora com as atividades do movimento do Design Inteligente no Brasil.

2 Comentários

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*